Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

20 dezembro, 2006

Um verdadeiro galaró!



Mota, M. (2002). O galo da velha Luciana. Vila Nova de Gaia: Gailivro.

Autor: António Mota
Ilustrador: Elsa Navarro
ISBN – 972-8723-65-2




António Mota nasceu em Vilarelho, Ovil, concelho de Baião, distrito do Porto, em 1957. É professor do Ensino Básico e é actualmente um dos mais produtivos autores portugueses de literatura infanto-juvenil.
Através das suas histórias, o autor descreve as vivências, as crises de crescimento e as lutas pela mudança de vida de uma infância e adolescência rurais, situadas num mundo em vias de extinção, mas ainda existente um pouco por todo o território português: o mundo das pequenas aldeias onde o tempo corre segundo o ciclo das estações e o ritmo das histórias contadas pelos mais velhos e a ligação à terra e aos ofícios tradicionais.
O seu primeiro livro é A Aldeia das Flores (1979). Em 1983, com a obra O rapaz de Louredo ganhou um prémio da Associação Portuguesa de Escritores. Em 1990, com o romance Pedro Alecrim, recebeu o Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças. Em 1996, com a obra A casa das Bengalas, ganhou o Prémio António Botto. Em 2004 recebeu o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para crianças e jovens, na modalidade livro ilustrado, com a obra Se eu fosse muito magrinho.
Desde 1980 é solicitado a visitar escolas do Ensino Básico e Secundário e também bibliotecas públicas em diversas localidades do País, onde tem, desta forma, contribuído para o fomento do gosto pela leitura entre crianças e jovens.
Este livro é ilustrado por Elsa Navarro, muito conhecida pelas participações em várias edições, dentre elas a colecção “Aventuras da girafa Gira Gira” de Mário Castrim. Além de ilustradora também é autora dos livros Anedotas ilustradas, O grilo Verde, Anedotas de animais - ilustradas e Anedotas de Futebol Ilustradas.
Uma das mensagens que esta obra nos proporciona constitui uma verdadeira lição de vida: aquilo que, por vezes, nos parece um infortúnio pode transformar-se na razão da nossa felicidade.

Cristina Silva e Sílvia Leite

Sem comentários: