Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

05 janeiro, 2007

“Grande Barrigada”






TORRÃO, Marta (2004): Come a sopa, Marta!, Lisboa: O Bichinho de Conto
ISBN: 972-95593-7-6



Editado recentemente (Março 2004), pela editora “O Bichinho de Conto”, este álbum, Come a sopa, Marta, é apresentado pela ilustradora Marta Torrão, que surge também como autora do texto verbal.
Em Come a sopa, Marta é possível que muitos dos leitores infantis se revejam na história. Esta conta que Marta, a protagonista da história, não gosta de sopa e que, diariamente «ficava a olhar para toda aquela papa verde, a tentar descobrir a melhor maneira de comer sem que o cheiro lhe chegasse ao nariz» (Torrão, 2004:4).
Atravessando, ao longo da história, algumas situações como a de um sonho, por exemplo, de onde saem ovelhas, mosquinhas, cada uma respectivamente com uma ervilha na boca e bocadinhos de cenoura do prato, Marta é surpreendida com um prato diferente. A mãe tinha encontrado uma forma de deixar Marta curiosa a fim de esta comer a sopa toda. É então que entra a personagem mistério, “o Chico”, o qual Marta só conheceria se comesse tudo. Ainda com esperanças que alguém lhe pudesse dizer quem era, sem fazer o sacrifício de comer tudo, perguntou à irmã, ao gato, ao pai, sem obter resposta. «E foi assim que, sem conseguir controlar a sua curiosidade, engoliu de uma só vez toda aquela papa verde (…). Quando abriu os olhos encontrou (…) o Chico» (Torrão, 2004:36, 37, 38). No entanto, logo reflectiu que agora que já conhecia o Chico, como seria para comer a sopa no dia seguinte. O livro termina, assim, com duas páginas ilustradas com pratos, todos com fundos diferentes.
Se o título e a temática prenunciados parecem cativar, logo de imediato, a criança, a articulação das ilustrações e das palavras reforçam essa ligação, que facilmente se criará entre este livro e a criança.
Podemos ainda referenciar que o seu carácter lacónico e a ligação ao mundo empírico, das experiências, a par da expressividade icónica fazem sobressair e prendem o destinatário extratextual. A verdade é que na narrativa protagonizada por Marta, ou no texto escrito por Marta Torrão, tal como no mundo das crianças, o real e o imaginário, aliados à criatividade, andam de mãos dadas.
Assim, o livro Come a sopa, Marta!, representando uma situação quotidiana e deixando em aberto uma história comum a muitas crianças, será, decerto, do agrado do pequeno leitor. É “um álbum de ficção vocacionado para as primeiras idades muito capaz de estimular a leitura, de promover competências lecto-literárias e de fomentar o gosto estético.” (Sara Silva)
Marta Torrão, recorde-se, nasceu em Lisboa, em 1974. Estudou ilustração e desenho no ar.co (2000). O seu trabalho é visível na imprensa e no mundo editorial, através das suas ilustrações para os livros infantis, O sol quentinho e Uma família de chapéus (Evereste, 2000, 2001). A sua participação em mostras colectivas de ilustrações foi visível na ilustração portuguesa (2001 e 2002), no Festival Internacional de Banda Desenhada, ilustração infantil, na feira do livro infantil de Bolonha, onde esteve integrada nas exposições «Nouve Figure per Pinochio» e «O meu Monstro» (2003).
Actualmente, Marta Torrão orienta cursos de ilustração para crianças organizados pela editora “O Bichinho de Conto”, em parceria com o Centro de Experimentação Artística, Lugar Comum.

Sem comentários: