Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

23 junho, 2008

Amadeo e o Mundo às Cores

Autor: Losé Jorge Letria
Ilustrador: Chico
Editora: Ambar
Ano: 2007


Percorrer esta narrativa ficcional sobre Amadeo de Souza-Cardoso (1887/1918), pintor, é encontrar um conjunto de símbolos que captam a atenção do jovem leitor para a observação crítica da realidade e inserem-no nos paradigmas que o levam à compreensão das ideologias de uma determinada época, apontando-as como fenómenos que podem determinar a evolução de uma sociedade.
Usando estratégias reveladoras dos destinatários preferenciais, sobressaem as grandes linhas orientadoras que traçam o perfil humano, artístico e psicológico da personagem destacada, inserida numa época que não lhe facilitou poder dar visibilidade e ver reconhecida a sua criação artística.
Adequando a narrativa ao mundo infantil, o narrador não deixa de incluir nesta ficção biográfica uma entidade feérica que acompanha todo o percurso de Amadeo: está presente no seu nascimento, visita-o durante o sono, é anunciadora dos obstáculos que surgem no percurso incompreendido do artista e chora a sua morte, assumindo uma atitude humanizada na medida em que lhe é impossível impedir o desaparecimento do amigo. Assim, esta Fada introduz o conceito de Fados ou Destino em que a lei natural sobressai como condição obrigatória para o cumprimento da demanda do herói, em lugar de ser atribuído aos seres sobrenaturais o domínio do seu percurso.
Este fenómeno pode derrogar as expectativas do pequeno leitor habituado a ver as fadas com os seus objectos mágicos a resolverem os problemas das personagens, mas aproxima-os na noção de Realidade, dando-lhes a perceber que o acesso à condição de herói se faz por etapas, em demandas exigentes onde o inconformismo ideológico e psicológico surgem como motivação intrínseca para a construção da humanidade autêntica.
Este livro é uma proposta de leitura para todos os que gostam de ler sobre grandes vidas e para aqueles que gostam de dar a ler textos em que essas vidas são ficcionalizadas com arte bastante para que as crianças acedam com facilidade aos ideais, que mais não são do que a sombra projectada pelos ideais assumidos pelos heróis.

Teresa Macedo

2 comentários:

manuel disse...

Da mão de JJ Letria podemos caminhar hacia as nuves, as nuves da alma que este velho de barba encanecida maneja de forma majistral, nosso Amadeo de Souza Cardoso nacio em Amarantre aos 18 anos entra na escola superior de Arte em Lisboa, e muito em breve dois aos mas demore vai a Páris, vive em meu querido y adorable Montparnasse, desarrola o impresionoismo, mas demore o expressionismo e lugo junto com o grande Pablo Picasso o Cubismo, sem esquecer-nos da caricatura, em 1913 viaja para USA viaja por Boston, NY e Chicago, esse mundo diferente, diferente lhe habre janelas, se reune com o Grande Gaudi em Barcelona 1914 e como los angeles não têm comprida vida, os deuses chamam a los angeles atemprana idade , falece aos 31.
Mas agora chega o velho de cor eterna JJ Letria para lembrar-nos aos amantes da pintura, da arte da liberdade, da mão da Professora Teresa Macedo para fazer cirugia desta obra , que é bela e necessária para os jovenes portugueses, de espiritu livre de alma anarquista onde não há muralhas nem fronteiras à alma, este livro junto com outros de letria, nos lleban de nosso Portugal até tocar o horizonte, e a analista Teresa, ela com suas palavras analiticas pione o perfume dos sonhos. Quando Portugal reconocera seus valores?

Teresa disse...

É sempre confortante ler os seus comentários pelo que acrescenta ao que se relata e pela generosidade que os acompanha.Bem haja e obrigada. Um abraço.