Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

31 maio, 2007

Papá, adoro-te!


Ritchie, Alison (2007). Eu e o meu Papá!. Ilustração de Alison Edgson. Lisboa. Minutos de leitura



ISBN: 972-793-061-1

A partir dos 3 anos

A autora do texto verbal é Alison Ritchie e do texto icónico é Alison Edgson, mas sobre a quais não foi possível encontrar dados relativos aos seus trabalhos e vida.
Este livro conta a história da relação que o ursinho mantém com o seu pai. Assim, o ursinho conta todas as actividades que ao longo do dia vai realizando com ele. Ele diz que é o pai que o acorda todos os dias de manha, que é com ele que vai explorar e passear na floresta, que procura alimento, com quem brinca e faz diversos jogos, que lhe conta as histórias antes de dormir e que o protege sempre que uma tempestade aparece… fazem tudo juntos.
Depois de contar tudo o que fizeram durante esse dia termina dizendo que o seu pai é o melhor e que vão ser sempre amigos.
Esta história tem um cariz actual pois retrata a relação de amor e carinho que existe entre os pais e os filhos mas que por vezes não acontece.
Por isso, na minha opinião, é um livro importante para, de uma forma lúdica e ao mesmo tempo didáctica, tentar aproximar os pais dos filhos, para que possa existir uma cumplicidade entre eles, como o texto deixa transparecer através das diferentes actividades que o pai urso e o ursinho vão fazendo ao longo do dia.
Dessa maneira, se todos os pais lessem a história com os seus filhos, seria muito gratificante na medida em que poderiam aprender a forma como deveriam tratar os seus filhos e lidar com eles e, poderiam também, perceber que, por vezes, um simples gesto de ternura pode fazer a diferença numa criança.
Com a história, os pais podem toma-la como exemplo e ponto de partida para começarem a dar atenção aos seus filhos. Para além disso, aqueles que já mantêm uma cumplicidade com os filhos, podem identificar-se com a história, sentindo-se reconfortados pois verificam que tudo o que ocorre nesta eles também fazem. Vêem o seu trabalho, assim, “recompensado” com a criação desta.
O texto verbal da obra tem como característica o facto de estar escrito em poema. Assim, a cada duas páginas de texto icónico corresponde uma quadra com rima cruzada no segundo e quarto versos. Cada quadra acompanha o texto icónico da respectiva página onde se encontra.
Para além disso, no texto verbal é utilizado uma linguagem acessível e de fácil compreensão pois utiliza palavras simples, e é reduzido pois predomina a ilustração.
Desta forma, este livro é um álbum, em que, as imagens ocupam grande parte deste. Estas são grandes e com cores agradáveis. Por exemplo, o desenho da chuva foi conseguido a partir através da mistura de cores de lavanda, azuis e amarelos.
Estas imagens ilustram aquilo que é dito no texto verbal. Podem, também, demonstrar ao leitor outras informações que possam estar escondidas no texto verbal, e isto vai permitir que a imaginação da criança (e do próprio adulto) se espalhe, criando novas interpretações para o que é dito.
Carina Ferreira

Tudo por uma mudança...


Batista, António Alçada (2005). Uma vida melhor. Ilustração de Teresa Conceição. Lisboa. Oficina do Livro.

ISBN: 989-555-132-0

A partir dos 5 anos

António Alçada Batista, autor do texto verbal, nasceu em 1927 na Covilhã. Licenciado em Direito, esteve ligado ao jornalismo e à edição. O seu primeiro livro foi sobre Documentos políticos, seguindo-se a publicação de "Peregrinação interior – Reflexões sobre Deus", "O Anjo da Esperança" e, os romances "Catarina ou o sabor da maçã", "Uma vida melhor" ou "O riso de Deus". Teresa Conceição é autora do texto icónico, da qual não foi possível encontrar dados relativos ao seu trabalho.
Este livro conta-nos a infância do Senhor Doutor Luís. Este, quando era pequeno, vivia na cidade, numa casa com um jardim e um quintal. Gostava de estar sempre no colo de alguém e quando fosse grande queria ser cowboy ou índio bom. Gostava, também, de brincar com os seus amigos (o Zequinha, o Artur, o João e o Xarréu) e com os primos e as primas e, gostava de ir para a quinta que ficava perto da cidade, e ai brincar com o Quim e o Tó.
Mas um dia o Senhor Doutor Luís foi ao médico e descobriu que estava doente. Além de ter bronquite tabágica, descobriu que estava com stress. Aquando disso, o Senhor Doutor Luís percebeu que precisava de fazer algo para mudar a sua vida.
Com isso pensou em duas coisas: a primeira era que tinha dado demasiado valor a coisas que não tinham importância; a segunda foi que estava sempre tão ocupado que não tinha tempo para brincar.
No dia seguinte decidiu vender o escritório e com o dinheiro comprou uma quinta chamando-lhe “O Rancho do Vale de Deus”. Aqui voltou a brincar: às casinhas, aos desenhos, a ler… e a sentir o colo que outrora tinha sentido quando era mais novo.
Esta história retrata o que ocorre nos dias de hoje. Existem muitos adultos que, com o passar do tempo, se esqueceram daquilo que realmente lhes interessa e é importante. Esquecem-se que um dia foram crianças, e isto acaba por tornar a sua vida monótona, sem alegria pois perderam a capacidade de brincar.
Com a história a criança pode entender uma das razões porque, por vezes, os pais não brincam com elas, e, em contrapartida, ajuda-os, também, a ter esperança que os seus pais possam mudar, e voltem a brincar com eles. Os pais, ao lerem a história aos seus filhos, podem perceber que estão presos às responsabilidades do dia-a-dia e que se esqueceram de coisas tão simples como brincar com os seus filhos. Ficam tão absorvidos com o que acontece no dia-a-dia que se esquecem que há coisas boas na vida que devem ser aproveitadas e vividas. Quem acaba por perder são as crianças que não têm a companhia dos pais.
Relativamente ao texto verbal da obra não é muito acessível. Embora se perceba o que pretende ser transmitido contém alguns termos que a criança pode ter dificuldade em interpretar, se não tiver a ajuda de um adulto. É, também, um texto bastante descritivo e longo o que pode tornar-se cansativo para uma criança mais nova pois não tem tanta capacidade de concentração, quando comparada com uma criança mais velha. Podendo, com isso, perder o interesse pela história.
Algumas características que podem levar a criança a mostrar interesse por esta é o facto de conter termos que são usados por crianças e jovens como “gaja”, e por relatar acontecimentos que algumas crianças passam enquanto crianças.
O texto verbal, em comparação como texto icónico, ocupa a maior parte da obra. As imagens, na sua maioria, ocupam metade da página embora algumas sejam pequenas. Estas acompanham o que é dito no texto verbal, sem acrescentar algo mais ao que é dito.
Por fim é de referir que na capa do livro encontra-se o símbolo da fundação do Gil. A Fundação do Gil foi criada em 1999, e tem como objectivo a integração social das crianças e jovens que se encontrem internados em unidades hospitalares, prisionais entre outras. Para conseguir realizar os seus projectos a Fundação promove acções de carácter cultural, educativo, artístico, científico, social e de assistência.
Carina Ferreira

25 maio, 2007

“Canções de Embalar a Vida: vozes, sons e afectos” - Instituto Piaget - 9 de Junho


O Instituto Superior de Língua Portuguesa (ISLP), em articulação com o Observatório da Literatura Infanto-Juvenil (OBLIJ), vai levar a efeito um encontro subordinado ao tema: “Canções de Embalar a Vida: vozes, sons e afectos”.
Destinado a Educadores/as de Infância, “avós”, pré-mamãs ou jovens mães e a todos os profissionais de educação, procurar-se-á redescobrir a prática das canções de embalar; reflectir sobre a importância da música, dos sons e das canções na vida da criança, desde o berço; partilhar experiências e vivências; esbater fronteiras intergeracionais.
Este evento terá lugar no próximo dia 9 de Junho, no auditório da Escola Superior de Saúde do Instituto Piaget, em Gulpilhares, de acordo com o seguinte programa:

Programa
09.00 – Recepção dos participantes
09.15 – Sessão de abertura (Luís Cardoso – Presidente do Campus Académico de V.N. de Gaia – Estela Lamas – Directora do ISLP)
09.30 – Momento lúdico-musical – Embalando Histórias e Memórias (Alunos de Educação Musical – Instituto Piaget)
09.45 – Apresentação do Observatório da Literatura Infanto-Juvenil (OBLIJ) e do Centro de Literatura Infantil do Instituto Piaget (CLIIP) (Armindo Mesquita – UTAD – e Paula Pina – Instituto Piaget)
10.15 - Apresentação do livro “Mitologia, Tradição e Inovação – (Re)Leituras para uma nova literatura infantil” (Fernando Azevedo – Universidade do Minho)
10.30 – Intervalo
11.00 – A importância da Música na vida da Criança (Ângelo Martingo – Instituto Piaget)
11.30 – Impregnar de Afectos a Vida e o Ser da Criança (Helena Pinheiro – Instituto Piaget)
12.00 – Partilha/Debate (Moderador: Armindo Mesquita – UTAD)
12.45 – Interrupção dos trabalhos

14.30 – Workshops lúdico-musicais – Embalando Histórias e Memórias – canções de embalar, e infantis (dinamizadores: grupo de cantares de St.ª Valha – Valpaços; Augusto Pacheco – Instituto Piaget/Academia de Música de Vilar do Paraíso; Tadeu Marques – Escola E.B. 1 de Quebrantões, V.N. Gaia)
15.30 – Partilha dos trabalhos
16.15 – Canções Contadas (Estela Lamas e José Manuel Couto – ISLP)
17.00 – Encerramento (Estela Lamas)

* Ao longo do dia, contaremos com uma feira do livro (Literatura Infanto-juvenil), da responsabilidade da Editorial Piaget e da Gailivro

Escola Superior de Saúde Jean Piaget/Vila Nova de Gaia
Alameda Jean Piaget, 4405-678 GulpilharesTelefone: +351 227 536 600
Fax: +351 227 536 637

Encontro de Educação - Ler é Poder: LEITURA e PRÁTICAS DOCENTES

Mirandela, 13 de Junho

Auditório da Escola Secundária de Mirandela
(Quarta-feira)


14:30 Abertura/Sessão de Apresentação.

15:00 Plano Nacional de Leitura: objectivos e estratégias. Comunicação da Dr.ª Dina Macias (ESE de Bragança).
15:45 Estratégias para formar leitores. Comunicação do Prof. Dr. Fernando Azevedo (U. Minho) e da Dr.ª Virgínia Coutinho (Formadora do CFAE Mirandela).
DEBATE: Moderador: Prof. Fernando Lopes, Director do CFAE de Mirandela.

16:30 Intervalo: Café.

16:45 Conhecer e Reflectir sobre práticas de leitura. Mesa redonda com as seguintes comunicações:
1.ª Intervenção: “Práticas de Leitura no 1.º Ciclo do E. B.”, pela Dr.ª Elza Mesquita, (ESE de Bragança).
2.ª Intervenção: Projecto “Ler: Há Letra “ do Agrupamento de Escolas Luciano Cordeiro de Mirandela, pelas Professoras Fernanda Silva e Arminda Alves.
3.ª Intervenção: Projectos “ Leitura e aprendizagem: um binómio feliz” e “Um livro aberto fala” pelas professoras Isabel Pires e Elvira Sousa da Escola Secundária/3 de Mirandela.
DEBATE: Moderador: Prof. José Carlos Azevedo, Presidente da CEI do Agrup. Luciano Cordeiro de Mirandela.
18:00 Encerramento e distribuição dos certificados de participação.

Destinatários: Educadores e Professores de todos os níveis de ensino das Escolas Associadas do CFAE Mirandela

INSCRIÇÕES: Ficha de inscrição. Enviar para: CFAE Mirandela. Escola E B 2 e 3 Luciano Cordeiro. Bairro do Pinheiro Manso. 5370-336 Mirandela. (por Correio ou Fax: +351 278264456)

Organização: CFAE Mirandela
Centro de Formação da Associação de Escolas do Concelho de Mirandela
Escola EB 2 e 3 Luciano Cordeiro
Bairro do Pinheiro Manso
5370-336 MIRANDELA
Telef. e Fax: 278264456

Apoios: Câmara Municipal de Mirandela
Livraria e Papelaria PINHEIRO
Escolas Associadas do CFAE Mirandela

promover a leitura com a poesia

Este video mostra-nos como a leitura de poesia pode proporcionar momentos, quer de fruição estética quer de divertimento, e como ainda conjuga o saber ler com a expressividade necessária ao entendimento do texto.
Os poemas são de Shel Silverstein e o primeiro tem por título Sick


"I cannot go to school today,"
Said little Peggy Ann McKay.
"I have the measles and the mumps,
A gash, a rash and purple bumps.
My mouth is wet, my throat is dry,
I'm going blind in my right eye.
My tonsils are as big as rocks,
I've counted sixteen chicken pox
And there's one more--that's seventeen,
And don't you think my face looks green?
My leg is cut--my eyes are blue--
It might be instamatic flu.
I cough and sneeze and gasp and choke,
I'm sure that my left leg is broke--
My hip hurts when I move my chin,
My belly button's caving in,
My back is wrenched, my ankle's sprained,
My 'pendix pains each time it rains.
My nose is cold, my toes are numb.
I have a sliver in my thumb.
My neck is stiff, my voice is weak,
I hardly whisper when I speak.
My tongue is filling up my mouth,
I think my hair is falling out.
My elbow's bent, my spine ain't straight,
My temperature is one-o-eight.
My brain is shrunk, I cannot hear,
There is a hole inside my ear.
I have a hangnail, and my heart is--what?
What's that? What's that you say?
You say today is. . .Saturday?
G'bye, I'm going out to play!"

Download: Posted by jmemmott at TeacherTube.com.

Os blogs e a promoção da leitura em contexto escolar

Download: Posted by speakingofhistory at TeacherTube.com.

Criando leitores! A importância das bibliotecas

Download: Posted by bailey at TeacherTube.com.

23 maio, 2007

Prémio Nacional de Ilustração

Este ano, o Prémio Nacional de Ilustração distinguiu, por unanimidade, Teresa Lima pelo conjunto das ilustrações da obra Histórias de Animais, com texto de Rudyard Kipling, publicada pela Editora Âmbar.
Esta é a segunda vez que Teresa Lima vence o Prémio Nacional de Ilustração, depois de, em 1998, ter ganho com as ilustrações de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Caroll. Foram ainda atribuídas duas menções honrosas a Bernardo Carvalho, pelas ilustrações de P de pai, e a Madalena Matoso, por Uma mesa é uma mesa, será?, ambos de Isabel Martins e editados pela Planeta Tangerina.
Este ano estiveram a concurso 111 obras ilustradas por autores portugueses de 32 editoras, registando-se um recorde de participação editorial.

16 maio, 2007

Lançamento da revista LIBECLine


LIBECLine - Revista em Literacia e Bem-Estar da Criança


A Comissão Editorial da revista LIBECLine convida todos os interessados para uma primeira apresentação pública da revista, a qual terá lugar no antigo edifício do Instituto de Estudos da Criança (Av. Central, nº 100, Braga), pelas 19h15, na próxima 6ª feira, dia 18 de Maio.
Número 1
Editorial
Entre fios, meadas e tramas: Emília des(a)fia a palavra escrita e tece suas memórias - Eliane Debus
A magia do recontar: apontamentos sobre intertextualidade, dialogismo e polifonia na obra cinematográfica Os Irmãos Grimm - Ana Amélia Tridico, Kézia Kristina da Silva, Nicia Narciso e Regina Durigan
Investigações matemáticas envolvendo alunos do 1º ciclo do ensino básico - Paulo Afonso e Maria da Graça Gabriel
The way a Romany (Gypsy) community perceives space notions and some educational implications for Romany students - Stathopoulou Charoula
Contactos:
Centro de Investigação em Promoção da Literacia e Bem-Estar da Criança (LIBEC)
Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga
Telf. +351 253601360
Fax. +351 253601201


13 maio, 2007

Fazendo leitores

Algumas das minhas memórias mais queridas dizem respeito à leitura: esconder-me debaixo dos lençois com uma lanterna, ler muito depois da meia noite, deitar-me no sofá com uma caixa de chocolates a ler A morgadinha dos Canaviais ou os Sonetos de Camões...ou sentir na mão o meu primeiro cartão de uma biblioteca pública!
O meu amor pela leitura consolidou-se... nem eu sei quando: na minha casa os livros enchiam as paredes! Ler era-me absolutamente normal, todos liam à minha volta: pais, irmãos, amigos, companheiras e companheiros de escola!
Contudo, a certa altura um fenómeno estranho aconteceu: a leitura de certos livros foi-me desaconselhada porque alguém podia saber o que eu lia e isso podia trazer dissabores...a liberdade e a democracia ainda não tinham chegado ao nosso país.
João Pedro Mésseder /Editorial Caminho

Ah, mas o fruto proibido é o mais apetecido e os livros de Máximo Gorki e de Steinbeck passaram a ter capas cobertas por papel custaneira! A minha mãe ficou horrorizada, mas nada conseguiu deter-me na caminhada da leitura, e há falta de melhor lia-se as Selecções do Readers Digest ou A Maria ou ainda a revista Fagulha! Mais tarde, barricados no bar da faculdade de Letras, ouvindo o Zeca cantando canções de embalar, a poesia despertou como a estrela d´alba da cantiga:

Dorme ó meu menino / Que a estrela d' alba / Já a procurei e não a vi / Se ela não vier de madrugada / Outra qu' eu souber será p´ra ti!

José Jorge letria/O sol e a Lua

QUE COISA É ESTA QUE NOS MOVE PARA A LEITURA? QUE COISA É ESTA QUE NOS FAZ BEBER OS LIVROS COMO CAFÉ EM DIAS DE "não sei como vou aguentar tanto trabalho?"

Bem complicada esta situação para a qual não existem respostas simples mas antes tentativas generosas para fazer leitores. Aqui vos deixo mais uma: muitos livros dão-nos palavras de sabedoria, trechos engraçados ou descrições eloquentes e seria encorajador escrever essas frases numa grande parede com o título"A Parede da Inspiração".

Podem ter a certeza que esta Parede da Inspiração será um aditivo poderoso e proporcionará uma constante lembrança do poder e da beleza das palavras!

10 maio, 2007

Os livros das nossas vidas - Braga, 21h30

CONVERSA SOBRE “OS LIVROS DAS NOSSAS VIDAS”
Para celebrar em 2007 o Dia Mundial do Livro, que se comemorou a 23 de Abril, a Biblioteca Pública de Braga desafiou os seus Leitores mais persistentes ou os seus Amigos que em ocasiões várias têm colaborado nas iniciativas que promove ou a apoiam nos momentos difíceis que muitas vezes vive, a indicarem o livro da sua vida.
Pedimos que cada leitor, que cada amigo nos confidenciasse “o título de um livro que tenha marcado a sua vida, que seja para si um livro inesquecível” e das respostas recebidas surgiu a pequena exposição patente no Átrio da Reitoria da UM (Largo do Paço).
OS LIVROS DAS NOSSAS VIDAS é uma revelação pessoal, a surpresa de uma escolha que decorre das recordações da infância, da descoberta de um texto que abre horizontes, da sua importância para a formação pessoal ou académica ou apenas do simples prazer que a leitura pode sempre proporcionar.
A BPB pretende prolongar o efeito daquela exposição para além da apresentação das capas dos livros, por isso convidou aqueles que nela colaboraram a estarem presentes no salão medieval para, em tom informal, como se de uma amena cavaqueira entre amigos se tratasse, darem contas das razões da sua escolha, explicarem por que motivo o livro escolhido os marcou tão profundamente. Naturalmente não vão estar presentes os 40 amigos da Biblioteca que responderam ao desafio, mas alguns já confirmaram a sua presença e dão garantias de um serão animado.
Deste modo a BPB convida todos os interessados, quer tenham respondido ao pedido ou não, a participarem na Conversa sobre “os livros das nossas vidas” que se vai realizar no Salão Medieval (Largo do Paço) hoje, dia 10 de Maio, às 21.30 horas. Conversando sobre livros, que foram importantes na vida de alguns dos nossos bracarenses, a Biblioteca Pública de Braga apoia o Plano Nacional de Leitura cujo objectivo principal é fazer LER MAIS

Jovens Criadores 2007




O Club Português de Artes e Ideias vai levar a cabo mais um concurso JOVENS CRIADORES 2007. O Concurso Jovens Criadores é um concurso nacional e pluridisciplinar para artistas em inicio de carreira.


Para mais informações: Clube Português de Artes e Ideias Largo Rafael Bordalo Pinheiro nº 29, 2º 1200-369 Lisboa

Tel: +351 213230090/1 Fax: +351 213230092

09 maio, 2007

07 maio, 2007

CONTOS DE CORES E SABORES - 7 e 8 de Maio de 2007

Dragões Azuis, Lobos Verdes, meninas de Capuchinho Vermelho, Touros Brancos, Sereias Azuis, Anões Amarelos, o Barba-Azul e a Noiva de Açúcar e Mel, a Branca de Neve, Ogres, Bruxas e Comilões, a história da Casinha de Chocolate, a história das Três Laranjas, ou a história da Sopa de Pedra…

Cores e Sabores povoam os contos tradicionais em todo o mundo, criando pela palavra mundos de sensações, estimulando sentidos e emoções. Cores e Sabores que são retomados pelos contadores urbanos contemporâneos, através da recriação dos contos tradicionais, ou da criação de novas cores e novos sabores, novos contextos, novas simbologias.
Olhar, comer, sentir prazer ou desprazer, medo ou coragem, ternura ou raiva: a matéria dos contos é feita das coisas básicas e pequeninas que fazem a vida das pessoas e que se tornam grandes e com significado pela voz do contador e pelo imaginário dos contos.
Mais uma vez, pela palavra e gesto dos contadores de histórias de hoje, o público do Minho vai poder viajar em várias línguas para mundos fantásticos ou quotidianos e ser transportado para o mundo dos contos, de tons alegres ou sombrios, de sabores variados e de personagens de todas as cores.
As nonas Jornadas do Conto da Universidade do Minho, que decorrem este ano nos dias 7 e 8 de Maio, em Braga, reúnem como habitualmente contadores nacionais e estrangeiros, num formato um pouco diferente do das edições anteriores.
O dia 7 de Maio, que decorre na Universidade do Minho, em Gualtar, será consagrado à reflexão, partilha de experiências e discussão sobre os repertórios dos contadores contemporâneos. Queremos saber como trabalham os contadores: como escolhem as suas histórias, como as desenvolvem, que lugar e que estatuto ocupam os contos tradicionais no seu repertório, que tipo de repertórios utilizam, que critérios utilizam na criação de novos contos. Contaremos nesta reflexão com as experiências de contadores vindos da Galiza e de França, de Inglaterra e do Canadá, do Brasil, e, claro, de vários lugares de Portugal. E também com a experiência de investigadores que se dedicam ao estudo do conto oral. Moderação: Ana Paula Guimarães e José Barbieri.
O dia 8 de Maio será dedicado à realização de oficinas do conto, dedicadas a estudantes, professores e animadores culturais e de sessões de contos em várias escolas e bibliotecas da região.
E como habitualmente, haverá dois espectáculos de contos para o público em geral: no dia 7 contos luso-canadianos e no dia 8 um serão de Contos de Cores e Sabores no Salão Medieval da Biblioteca Pública de Braga.
Para mais informações contactar a comissão organizadora:Instituto de Letras e Ciências Humanas, Maria Eduarda Keating, Sofia Afonso, Marie-Manuelle Silva ou Virgínia Gonçalves.www2.ilch.uminho.pt/sdef/lafete/contes.htm
Programa detalhado e inscrições consulte:
http://www2.ilch.uminho.pt/sdef/lafete/contes.htm

03 maio, 2007

Esposende: Fórum da Educação 2007




A Câmara Municipal de Esposende vai promover, entre os dias 21 de Maio e 1 de Junho, o FÓRUM DA EDUCAÇÃO 2007.

O evento, que vai já na terceira edição, integra um conjunto variado de iniciativas, com destaque para o Seminário “A Formação Cultural na Educação”, a ter lugar no dia 23, no Auditório Municipal, o Encontro do Programa “Crescer a Brincar”, a tertúlia “Os média, os valores e a Educação Familiar”, os Concertos Pedagógicos "Contributos para uma História da Música" e a peça de teatro “Felizmente há luar!”, adaptação da obra de Luís de Sttau Monteiro.

Ainda no âmbito do evento, decorrerá de 28 de Maio a 1 de Junho a Festa da Criança, com a apresentação da ópera “Bastien e Bastienne”, de W. A. Mozart, e o espectáculo “As sombras que a música tem…”, da autoria do Instituto Orff do Porto, tendo como público-alvo as crianças do 1.º ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-Escolar do concelho.

Programa detalhado e inscrições em www.cm-esposende.pt


E-mail educacao@cm-esposende.pt
Tel. +351 961.526.704 Fax. +351 253.960.176