Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

10 novembro, 2008

A Festa dos Pastores na Fundação Cupertino de Miranda





Recebi o convite e fiquei mais uma vez emocionada.


Quem não estava já com saudades de mais uma nova história da nossa querida escritora Rosário Alçada Araújo (a nossa Rosarinho, como lhe chamamos cá por cima)?
Pois bem, ela vai estar de novo por terras do norte e é já no próximo sábado, às 16.30h.

Sei que o livro vai surpreender-nos. A razão? É bem simples, a Rosário só sabe maravilhar com palavras soltas, onde a brisa do encanto parece soprar, leve, entre as páginas viradas.

O lançamento, nas palavras do nosso também querido Manuel António Pina, assegura a importância do momento . Quanto às ilustrações, parece-me que só um contacto ao vivo poderá atestar a veracidade deste conjunto, onde escritora e ilustradora brincam de fazer sonhar.


Sejam muito bem-vindas e até sábado.



Isto agora é mais uma confissãozita das minhas.

A autora é uma doçura, um encanto de pessoa, sem aquelas vaidades tontas, nem afirmações protocolares que nos fazem sentir, às vezes, meios fora do contexto. Não é por acaso que dos seus livros escapa tanto zelo no saber amar as coisas mais triviais.


Conheci a escritora, numa aula do nosso mestrado em Literatura Infantil e Estudos da Criança. Foi num sábado de manhã. Virei, num momento qualquer, uma página (já nem sei de quê) e a colega, bem simpática por sinal, entregou-me a folha que tinha caído e pergntou-me se eu gostava da autora. Respondi-lhe que sim, caso contrário não escreveria nada sobre ela, pois o meu objectivo era (e sempre será) o de divulgar livros para crianças e jovens, a meu ver, bons.


Ela sorriu, não com vaidade, mas emoção e disse-me:"- Obrigada. Também gosto dela!" E riu, com um riso saudável. De repente olhei para ela e rimo-nos as duas. Tinhamos descoberto, assim, numa aula (que confesso estava a ser um pouco morosa) quem éramos. Foi um momeno maravilhoso, e a amizade nunca mais deixou de estar em cada um dos nossos gestos.


Querida amiga, que tanto me dás para sonhar por essas escolas fora, desculpa-me a falta de tempo por não ter ainda dito nada sobre o teu, agora, penúltimo livro e que eu, especialmente, adoro: A Caixa da Saudade. Tive o privilegio de lê-lo ainda em estado de prova. Lembro-me perfeitamente de ter dito: "Ai, que lindo! Lembraste?". Bem, julgo que a recensão já de pouco valerá. O livro fez-se por si só, porque saiu das mãos de uma muito boa sonhadora/imaginadora.





2 comentários:

Jorge Martins disse...

São raros os escritores de literatura infantil e juvenil que podem elaborar obras de arte, no âmbito da literatura, cujo valor estético empolgue de tal forma o leitor; suscitando o prazer, a emoção, a capacidade de sonhar.
Os livros da Rosário deixam-nos sempre uma porta aberta para o livro seguinte, pela qualidade literária que a escritora nos transmite.
Espero ler em breve a tua nova obra de arte, Rosário.
A Biblioteca da minha escola possui todos os teus livros, que eu comprei.


Um admirador que tu conheces de Vila Verde...Jorge Martins

ana abelho disse...

Parabéns, Rosário!
Depois de nos fazer sonhar com a Rosinha, a pequena estrela, a caixa de saudades e o menino escritor, agora dá-nos o prazer se conhecer a maravilhosa história de Daniel Pastor. Um belo presente de Natal que vou partilhar com todos os meninos da minha escola. Obrigada por nos fazer sonhar com tanta imaginação!
beijinhos
Ana Abelho
BE da EB1 de Santiago do Cacém