Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

29 dezembro, 2006

um olhar sobre o imaginário

Um olhar sobre o imaginário

Dacosta, Luísa (1974). A menina coração de pássaro. Obras completas de Luísa Dacosta para a infância 2ªedição (2002). Edições ASA. ISBN: 972 – 41- 3181- 5.
A partir dos 6 anos.

O livro A menina coração de pássaro é uma das obras da escritora Luísa Dacosta que nasceu em 1927, em Vila Real de Trás-os-Montes. Formou-se na Faculdade de Letras de Lisboa, em Histórico-Filosóficas. Mas as suas "Universidades" foram as mulheres de A-Ver-O-Mar. Foi professora do ciclo preparatório e alguma coisa deve também aos alunos: o ter ficado do lado do sonho e isso tem motivado a autora a escrever para crianças.
Antes de referir qualquer outro tipo de elemento é essencial analisar os paratextos da obra. A capa é apelativa essencialmente pela cor azul e pelo pássaro muito semelhante a uma pomba em tom verde, mas é necessário folhear as primeiras páginas para encontrar algo que prenda o leitor. Folheadas estas, também azuis, deparamo-nos com a conhecida característica da autora, a expressão “no sonho, a liberdade…” que nos clarifica quanto ao tema do livro: o sonho, o mundo imaginário onde tudo é possível, o mundo onde cada um pode vivenciar o que deseja, o mundo que é só nosso. É um texto narrativo em forma de conto, uma vez que é narrada a história de uma menina “sonhadora e solitária, que falava com as flores e sabia o coração das coisas” (Dacosta, 2002) que, recuperando um velho enfeite de Natal, um pássaro “branco, prateado e vidrento” consegue entrar, à noite, nesse objecto e voar até junto de uma estrela com quem conversa e a quem fica afectivamente ligada. Do diálogo com a estrela, que está “cansada de ser estrela” (Dacosta, 2002:7), e que no céu, há milhares de anos, já aprendeu que mais vasto do que o oceano é o sofrimento dos homens”, surge uma amizade e ternura verdadeiras.
Ao longo da obra, o leitor pode activar os seus quadros de referência intertextuais reconhecendo valores como a amizade, o afecto e a vida. Todas as histórias de sonho, de fantasia, de tudo o que apela à imaginação da criança, podem ter uma relação intertextual com este conto. Porém podemos assemelhar o percurso desta história à famosa obra O Principezinho, de Antoine de Saint – Exúpery: “só se vê bem com o coração; O essencial é invisível aos olhos”, pois há coisas que não se vêem, sentem-se: “(…) precisa de olhos interiores para ser visto e sentido (…)” “o que se vê com os olhos interiores , é o fogo da ternura e da amizade”(Dacosta, 2002).
Em ambas as histórias mostra-se o verdadeiro valor da amizade e do afecto, valores que não se vêem, mas que se sentem e que são verdadeiros. Tanto o principezinho como a menina coração de pássaro partem em busca da felicidade, da aventura e ambos aprendem que nem tudo é perfeito, nem tudo é o que parece, e principalmente valores importantes, verdadeiros e sinceros são esquecidos, já ninguém vê as coisas com o coração, com os olhos interiores.
Para concluir, pode ainda salientar-se que a ausência de texto icónico é um grande contributo, uma vez que pode levar a diversas interpretações do texto. São deixados espaços em branco para que o leitor se torne crítico e possa dar asas à sua imaginação, ficando assim, como que “preso” ao livro.

Sem comentários: