Ocorreu um erro neste dispositivo

Translate

Follow by Email

01 janeiro, 2007

Um outro olhar sobre a adopção!



Gray, Kes (2006). O Coelhinho Tremeliques. Ilustração de Mary Mcquillan. Porto. Gailivro.

ISBN: 989-557-290-5


A partir dos 4 anos

Kes Gray, autor do texto verbal, tem uma carreira com 20 anos no âmbito da qual escreveu livros de literatura infantil, séries de ficção juvenil e anúncios. Relativamente a prémios recebeu o “coveted overall” nos prémios da Federação de livros para crianças e, também, o prémio “Sheffield”, da categoria da ilustração do livro; Mary Mcquillan, autora do texto icónico, é muito conhecida no Reino Unido e tornou-se muito considerada por todo mundo pelas suas ilustrações para livros de crianças.
Este livro fala-nos de um jovem coelhinho, o Tremeliques, que foi adoptado pela Vaca Mil-folhas e o Cavalo Caniço.
Um dia, os seus pais adoptivos decidem contar-lhe a verdade. Tremeliques não percebeu, pois para ele Mil-Folhas e Caniço eram coelhos e seus pais biológicos.
Quando se apercebeu que realmente não podia ser filho de uma vaca e de um cavalo foge para muito longe. Os seus pais tentaram encontrá-lo mas em vão.
Ao regressarem a casa, os seus pais deparam-se com uma criatura estranha. Era Tremeliques que se tinha disfarçado de forma a parecer um cavalo e uma vaca.
Então, estes explicaram-lhe que tal não era necessário, pois para eles, o Tremeliques é seu filho biológico, apesar de ser um coelho.
Esta história incorpora um tema bastante actual e inovador que é a adopção, na medida em que, a partir de uma história para crianças, tenta-se transpor o que acontece na vida real, de forma a quebrar barreiras quando se fala em adopção. É, assim, uma história positiva perante a vida pois mostra uma forma de se abordar o tema sem magoar os sentimentos das crianças. Tenta também fazer ver, tanto aos pais como às crianças, que, para pertencer a uma família, não é necessário haver uma relação biológica e que questões como a raça, cor ou até características físicas diferentes não são obstáculo para que haja uma família.
É uma história de amor que possibilita à criança perceber o significado de família, alargar os seus conhecimentos acerca do mesmo e compreender este tema (adopção). Expor esta história a crianças é gratificante, pois, como já foi dito, permite-lhes perceber o que é a adopção e que não é necessário ser filho biológico para pertencer a uma família.
Quanto às ilustrações, visto este ser um álbum, ocupam grande parte do livro. Estas são grandes, com cores atractivas, e acompanham o texto verbal. Neste sentido ilustram aquilo que é dito, no entanto, podem, também, fornecer ao leitor outras informações que no texto se encontram implícitas. Deste modo permitem expandir horizontes.
O texto verbal é reduzido visto que no livro predomina a ilustração. Neste é utilizado uma linguagem simples permitindo uma adequada percepção das crianças relativamente à informação que é partilhada.
Uma outra referência acerca do livro é o facto de ser parte integrante na tradição das fábulas: as personagens são animais que falam.
Assim como este texto existem outros que permitem à criança perceber o mundo que a rodeia. Temos como exemplo o livro A Mamã pôs um ovo de Babette Cole, que explica a forma como nascem os bebes.

Carina Ferreira

Sem comentários: